Histórias de Sobrevivência – Amanda Eller

As histórias de sobrevivência de quem viveu situações-limite

Amanda Eller esteve desaparecida nas densas florestas de Maui, no Havai, durante 17 dias.

No dia 8 de maio de 2019, a professora de ioga e fisioterapeuta de 35 anos fazia uma caminhada de aproximadamente cinco quilómetros na floresta. Depois de parar para descansar, ficou desorientada e passou horas a tentar encontrar o caminho de volta para o seu veículo, sem perceber que estava a caminhar na direção errada.

Eller, deixou ficar o seu telemóvel e uma garrafa de água no carro.

Manteve-se viva ao comer framboesas selvagens, um fruto chamado araçá e até traças. Conseguiu obter água potável vinda de uma cascata que a mantinha hidratada e, para se proteger do frio da noite, dormia sobre lama, coberta com plantas.

17 dias depois, Amanda Eller foi descoberta por um helicóptero de resgate, que já sobrevoava aquela zona há duas horas e estava quase a ter de regressar por falta de combustível, numa altura em que eram poucas as esperanças de encontrá-la com vida.

No Facebook, Eller reconheceu ter agido “irresponsavelmente” ao deixar o seu telefone e água no carro e pediu desculpa por colocar a vida das equipas de resgate em risco.

“Nunca foi minha intenção colocar ninguém em perigo, nem criar uma situação de resgate por minha causa”.

Eller disse também que espera que a divulgação da sua experiência torne os caminhantes “mais conscientes da preparação adequada necessária quando decidirem explorar Maui”.

Mochilas de Emergência

0