O que é a radiação nuclear?

Muito reduzidamente, são radiações emitidas a partir do interior do núcleo de um átomo instável. O núcleo é instável quando o átomo apresenta, em média, 84 ou mais protões em seu interior. As radiações nucleares são de três tipos: alfa (α), beta (β) e gama (γ).

alfa (α)
Estas partículas possuem grande energia cinética, ou seja, alta “energia de movimento”, dado que o núcleo, para além de libertar os protões e neutrões, também liberta energia. No entanto, essas partículas possuem baixo poder de penetração.

beta (β)
As partículas beta possuem energia cinética e poder de penetração superior ao das partículas alfa. O seu poder de penetração superior é devido ao fato da partícula possuir massa muito inferior à da partícula alfa.

gama (γ)
Esta radiação é altamente penetrante, ou seja, como seu poder de penetração é muito elevado, pode atravessar um corpo humano com grande facilidade, pois é muito energética.

Os perigos da exposição à radiação nuclear

Quase tudo pode ser afetado pela radiação. Desde animais, plantas, o solo, água e o ar podem ser afetados e contaminados, cada um de uma forma.
O solo, a água e o ar, na realidade, quando contaminados com matéria radiativo, passam a ser meios disseminadores da radiação para os seres vivos.

Nos seres vivos, as radiações dão origem a dois efeitos:

  • Mutações genéticas: a radiação é capaz de modificar o DNA da célula, fazendo com que perca sua função ou passe a desempenhar uma nova função.
  • Quebras de moléculas: a radiação pode quebrar o DNA das moléculas e prejudicar o processo de multiplicação celular. Esse processo pode fazer com que as células não consigam mais transmitir seu patrimônio genético durante sua multiplicação. A função celular pode ou não ser afetada.

É comum avaliar a extensão dos danos causados pela radiação através de dois fatores muito importantes:
a dose e o tempo de exposição.

Se ficar exposto, o que pode acontecer?

A curto prazo podem aparecer um ou vários sintomas

  • náuseas, vómitos, diarreia, febre, dor de cabeça, queimaduras, alteração na produção de sangue, rompimento de plaquetas, redução da resistência imunológica

A longo prazo

  • Cancro de pele, cancro de pulmão e/ou outros, presença de radiação em toda a cadeia alimentar, diminuição da fertilidade

Para se proteger da radiação de um desastre nuclear, existem 3 factores iniciais que deverá ter em consideração: distância, abrigo, tempo.

Distância: quanto mais se puder afastar do local do desastre, melhor.
Abrigo: quanto mais denso e profundo for o abrigo, melhor. Abrigos subterrâneos em cimento ou betão que o possam isolar da radiação são mais eficazes.
Tempo: os primeiros dias e, principalmente as primeiras horas, são os de maior intensidade da radiação. Afaste-se, abrigue-se e espere.

Saber mais

Obtenha informação adicional através dos seguintes links:

Autoridade Nacional de Proteção Civil

Instituto Português do Mar e da Atmosfera

Direção Geral da Saúde

saude_24

Mochilas de Emergência

Alterações climáticas
Calor e Sol
Catástrofes Ambientais
Catástrofes Naturais
Frio e Neve
História
Kit de Emergência
Legislação
Radiação nuclear
Sismos
Sobrevivencialismo
0