Pragas de gafanhotos podem ter utilidade

As comunidades quenianas estão a sofrer algumas das piores pragas de gafanhotos dos últimos 50 anos.
Especialistas já associaram o fenómeno a padrões climáticos incomuns exacerbados pelas mudanças climáticas.

Numa tentativa de ajudar estas comunidades a reduzir o impacto das infestações que destroem as suas culturas e meios de subsistência, uma startup chamada ‘The Bug Picture’ está a fornecer um incentivo às populações para apanhar os insetos à noite.

A empresa,  paga às comunidades locais para colher os insetos e, depois de moídos, serem utilizados em ração animal rica em proteínas e também fertilizante orgânico para posterior comercialização.

A utilização dos insetos, como alimento para humanos,  é já utilizada em alguns países asiáticos e decorrem vários estudos e experiências para a introdução generalizada deste tipo de alimento nas sociedades ociedentais.

A ‘Bug Picture’ trabalha atualmente com comunidades no centro do Quênia – em torno das regiões de Laikipia, Isiolo e Samburu – uma área que é particularmente afetada pelas pragas.

“Estamos a tentar criar esperança numa situação dramática e ajudar essas comunidades a alterar sua perspetiva no sentido de ver estes insetos como uma cultura sazonal que pode ser colhida e trocada por dinheiro”, disse Laura Stanford, fundadora do The Bug Picture.

Saber mais
https://www.weforum.org/agenda/2021/03/locust-plague-africa-kenya-innovation-start-up-bug-picture-climate-change

Mochilas de Emergência

0